Papel do Vereador

Art. 98º - Os vereadores são agentes políticos, investidos do mandato legislativo para uma legislatura, pelo sistema partidário e de representação proporcional, por voto secreto e direto.

Parágrafo Único – os vereadores são invioláveis no exercício do mandato por suas opiniões, palavras e votos observados o que dispõem os Arts. 71 e 12 da Constituição Estadual.

 

Art. 99º - Compete ao Vereador:

I - Participar de todas as discussões e deliberações do Plenário;

II - Votar na eleição da Mesa e das Comissões Permanentes;

III - Apresentar proposições que visem ao interesse coletivo;

IV - Concorrer aos cargos da Mesa e das Comissões;

V - Usar da palavra em defesa ou em oposição às proposições apresentadas à deliberação do Plenário.

 

Art. 100º - São obrigações e deveres do Vereador:

I - Desincompatibilizar-se e fazer declarações públicas de bens, no ato da posse e no término do mandato;

II - Exercer as atribuições enumeradas no artigo anterior;

III - Comparecer decentemente trajado às sessões, na hora pré-fixada;

IV - Cumprir os deveres dos cargos para os quais for eleito ou designado;

V - Votar as proposições submetidas à deliberação da Câmara, salvo quando ele próprio, ou parente afim ou consanguíneo, até terceiro grau inclusive, tiver interesse manifesto na deliberação sob pena de nulidade da votação quando seu voto for decisivo;

VI - Comportar-se em Plenário com respeito, não conversando em tom que perturbe os trabalhos;

VII - Obedecer às normas regimentais quando ao uso da palavra.

 

Art. 101º - Se qualquer vereador cometer, dentro do recinto da Câmara, excesso que deva ser reprimido, o Presidente conhecerá do fato e tomará as seguintes providências, conforme sua gravidade;

I - Advertência pessoal;

II - Advertência em plenário;

III - cassação da palavra;

IV - Determinação para retirar-se do Plenário;

V - suspensão da sessão, para entendimento na sala da Presidência.